Toque de recolher no Ceará foi imaturidade, diz lider de motim.

Pelo menos cem manifestantes, entre policiais militares e familiares, estiveram no 3º Batalhão da Polícia Militar de Sobral (CE) de terça-feira (18) a quinta-feira (20). Foi lá que o senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado ao avançar sobre o portão dirigindo uma retroescavadeira.
Na tarde de quarta, pessoas encapuzadas em viaturas da PM haviam rodado o centro da cidade ordenando que comerciantes fechassem as portas. O vereador Sargento Ailton (SD), que está entre as lideranças do motim da Polícia Militar no Ceará, disse que quatro policiais foram responsáveis pela ação.
“Foi um erro, imaturidade dos meninos. Eles disseram que pediram para que as portas fossem baixadas para evitar arrastões, já que não havia policiamento. Acharam também que fazendo isso as ruas ficariam vazias e poderia facilitar que o governador Camilo Santana voltasse a negociar”, disse à Folha.
Ailton esteve com os policiais durante quase todo o tempo em que o quartel esteve tomado.
As duas viaturas utilizadas haviam sido deixadas no batalhão por PMs que haviam aderido à paralisação naquele momento. Os agentes que saíram nos veículos não teriam sido vistos pelos demais.
O governo investiga quem foram os autores da ação. O departamento de homicídios, por sua vez, apura quem atirou em Cid Gomes, alvejado duas vezes.

Polícia…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *